domingo, 22 de dezembro de 2013

 O que seria mudar se não o fato de passar a não ser mais a outra pessoa de antes? Sem enxergar coisas que não podiam ser vistas com mais facilidade e pareciam estar escondidas em um grande baú com um emaranhado de tantas outras coisas. E então, de tempos em tempos algo te mostra que as coisas não são como deveriam ser, não são como gostaríamos que fossem. 
 Descobrir que talvez a mudança tenha sido pra te transformar em algo que talvez você nunca gostaria de ter se tornado, nem encontrado dentro de si mesma. Não encontrar mais as palavras que antes acompanhavam quase todos os sentimentos, perceber que com a mudança até elas foram embora e então aquele caderno que antes era indispensável se foi para um lugar que nem é possível encontrar. Sim até elas se foram sorrateiramente, todas as palavras que tudo rodeavam por horas e noites intermináveis. Motivos, meros motivos Jamais precisei deles, jamais tive necessidade de um maldito motivo para nada! Nada! Nem para chorar ou até mesmo molhar meus óculos com lágrimas idiotas que não sei o porque de estarem aqui. Sempre estrago tudo, estraguei até as palavras. Pouco fiz para isso.
  Maldita mudança! Já não tenho mais vontade de salvar o mundo, já não me importo com nada a não ser meras e imuteis futilidades. O que me tornei? Escolhendo palavras? Censurando?  Nem mais minhas palavras podem conviver comigo após a maldita mudança, pois me tornei justo o que não queria tornar-me... O que será de tudo agora que me dei de conta da maldita mudança?   

4 comentários:

  1. ola ,gostaria que publicasse mais,gostei dos seus textos e sinto como vc

    ResponderExcluir
  2. Ola... Passei um período ausente do blog. Obrigada pelo incentivo. Volte mais vezes.

    ResponderExcluir