domingo, 22 de setembro de 2013

O Suicídio de Leila...

      São 5 da manhã. Leila desperta do sono, sono agitado se é que poderia ter sido chamado de sono. No seu fone ainda tocam as suas musicas preferidas e em sua cabeça ainda esta a mesma ideia, porém agora tal ideia vai se concretizar. 
      Olha no celular, nenhuma mensagem. O mundo lá fora á muito já foi esquecido por ela. Seus pais não estavam em casa para variar, era o dia perfeito. Levantou-se colocou seu cd preferido para tocar, vestiu-se com sua saia xadrez preferida e uma camiseta dos Beatles, amarrou seus cabelos roxos em uma trança apesar de serem meio curtos. 
      Então, sem pensar em mais nada se dirigiu para a varanda do seu apartamento que ficava no oitavo adar em um prédio do centro da cidade. Subiu até conseguir ficar de pé olhando para baixo, onde não tinha nenhum movimento por conta do horário seu all star desbotado quase escorregou uma vez, mas o que ela queria mais do que a morte era sentir a sensação do suicídio. Como era esse momento de deixar para traz tudo que na verdade para ela já era nada a muito tempo.
     Apos esse tempo prolongado, ela fechou os olhos, abriu os braços e deu o impulso que a levaria para a morte. Se jogou da varanda e a queda era certa. Quando os vizinhos acordaram e começaram a saída rumo a vária coisas a serem feitas encontraram leila na calçada com uma camiseta antes branca, agora vermelha com o sangue, mas ela ainda respirava. Até mesmo no suicídio ela falhara.  

domingo, 8 de setembro de 2013

Verdade ou Mentira?

      Poucas coisas na vida são valorizadas. Sentimentos quase não valem nada, sonhos são desperdiçados, ideias são jogadas na lata de lixo da alienação. Quase tudo que é feito é moldado para que nós tenhamos pensamentos que não são os nossos: revistas, jornais, programas, novelas e até mesmo livros. 
     Todos se preocupam com as tendencias. Tendencias de vestir, tendencias para ser e tendencias para pensar, todos querem se tornar uma tendencia, sem se importar com qual é a do momento. Além das tendencias, existem as informações que são compradas diariamente. Cuidado. Nem todo que vemos e assistimos realmente é. 
    Algum tempo atras, pensei generalizar alguns assuntos hoje, percebo que é melhor generalizar, porém com a verdade do que manipular com mentiras encaixadas para que pessoas mau informadas comprem a notícia errada. 
    Esse mundo é mesmo uma mentira daquelas bem mal contadas. Como viver em uma sociedade onde não se sabe se a verdade é verdade e a mentira é mesmo mentira? 

terça-feira, 3 de setembro de 2013

 Me coloco a pensar no propósito das coisas. Por que levantar? Por que estudar? Pra que o idealismo? Até onde ser diferente e destoada dos demais é normal e compreensivo? Quanto mais me coloco a pensar, mais descubro que quase nada tem sentido. Talvez eu seja apenas um hífen ambulante tentando encontrar uma palavra que ajude a me nomear e assim encontrar um significado.
 Hífen-escritora, hífen- professora de português, hífen normal. Na verdade  hífen não é apropriado pra me definir o mais certo seria mesmo um paradoxo ambulante que acorda e vai dormir sem saber o que é nem o que quer. Indefinida. Inexistente, talvez até mesmo um nada.
Todos se cansam de paradoxos no fim, se cansam de palavras soltas, de ataques de falta de personalidade. Como não se cansar? Até eu mesma canso do meu próprio paradoxo. 
 Me desculpe meu caro leitor, se te fiz perder tempo com tantas palavras, para variar vazias, queria apenas descrever o meu paradoxo.