domingo, 26 de maio de 2013

Tic Tac... Esse é um som que não escuto mais!

Quando olho no espelho não reconheço mais o meu reflexo nem minha expressão. Algo está errado e eu sei disso. A Saída parece ter estado na minha frente durante todo esse tempo, apontando sempre a direção certa e eu, apenas peguei o caminho contrário, o caminho que me trouxe pra cá.
    Aqui estou eu, vegetando sendo uma pessoa mecânica fazendo exatamente aquilo que os outros esperam que eu faça, sendo quem não sou e nunca tive pretensão de ser. Às vezes me pego pensando: “-o que ele faria se estivesse aqui? Fecharia os olhos como todos os outros? Me socorreria nas horas de desespero?” Esperei por sinais que não chegaram, nem em meus sonhos o vejo mais caminhando comigo. Pouco á pouco seus sinais de existência se foram me deixando de vez aqui, á espera de algo que nem eu mesma sei o que é.

   Vontade é uma coisa que não sinto, por vezes apenas fico esperando um fim, mas nada é tão fácil quanto parece ser até pra isso seria necessário um ato mutuo de coragem, coisa que não demonstro. Quando olho no espelho, vejo apenas uma bomba relógio; tic, TAC esse é o som da sua vida se esgotando imagino. Não posso entender como alguém pode amar uma bomba relógio com um tempo tão curto... 
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário