quarta-feira, 10 de abril de 2013

A morte leva Natacha...

Está tudo acabado. O coração dela parou de bater, depois de horas tortuosas perdendo sangue lentamente dentro de uma banheira cheia. Tudo está parado, nada mais importa, no ambiente aquele cheiro de ferrugem  produzido pelo sangue invade todo o banheiro.
 O que á levou a isso? Desespero, dias e dias de uma vida infeliz e sem nenhuma esperança. Vontade desesperada de desaparecer, nenhum motivo para sorrir e um grande buraco vazio no lugar de um coração pulsante. Ela procurou a morte no fim, era tudo o que podia fazer, precisou de coragem para deixar esse mundo e andar até a banheira com aquele pequeno canivete o que não foi difícil, pois enquanto planejava sua morte não teve em mente nenhuma lembrança boa sobre si, ou sobre outras pessoas a sua volta. 
  Quando entrou no banheiro, não precisou pensar apenas ligou o celular na sua musica preferida tudo parecia uma eternidade, o tempo que a banheira levou pra encher não passava. Estava determinada, nada a faria mudar de ideia. Depois da banheira cheia, ela entrou, se encostou, esticou os braços delicadamente e cortou os puços de forma rápida e eficaz para não ter volta. 
    Ficou lá, observando seu sangue se misturar com a água esperando pela morte certa até sentir aquela sensação de dormência pelo corpo, rapidamente fechou seus olhos e sua ultima lágrima caiu. Seu coração parou de bater, não se ouvia mais nada a morte havia chego e lá estava ela, levando Natacha.  
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário