segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Gostaria de compartilhar uma poesia que escrevi, nunca havia escrito uma antes, porém alguém muito importante para mim no momento me inspirou para escrevê-la.


       Tive sorte por ter te encontrado!
     Em um dia de céu nublado,
     Fomos brevemente apresentados
     Muito tempo então se passou
     E muita coisa mudou...
     Meses, dias, horas
    
   Nos encontramos novamente
   Nada eu e você tínhamos em mente!
   Conversas, sorrisos, coisas em comum
   Tudo foi crescendo intensamente!

  Então, novamente em um dia nublado
  Nos encontramos, e tudo ainda estava conturbado.
  Confusões, medos e distrações nos separavam...

  Confesso que estava cansada
  De tantos e tantos dias nublados
  Então chegou o ultimo deles, o mais importante!
  O dia em que choveu no fim da tarde
  O dia em que nada ficou para mais tarde
  O dia em que meus lábios tocaram os seus.



PS: espero escrever outras em breve! 

sábado, 29 de dezembro de 2012

Nostalgia 60....

         Talvez, talvez, talvez
     Nada de fato valerá à pena!

     Vamos nos desprender
     desse mundo sujo.
    
     Cantar, beber ou transar.
     O que você quiser
     Ninguém é de ninguém.

    Vamos fazer o que fazemos
    Melhor!

   Se te encher fuja! Sei lá
   Só não fique prezo a nada
   A liberdade vale muito.

   Ou tem medo de ser você mesmo?
   Enquanto a musica tocar,
   Estará tudo bem.

  O que essa vida maldita quer?
  Sexo com duas mil pessoas
  Para acabar sozinho jogado em um banheiro químico.
 
  Que se foda a vida
  Vamos fazer o que fazemos melhor!
  Cantar, beber ou transar
  Blues, Whisky, Drogas e Vodca
  Não se sinta prezo a nada.
  Porque 27 anos bem vividos
  São melhores que 88 perdidos.

Carlos Bertuzzi






quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Cresça...

        O que significa crescer no fim das contas? Será só o tamanho ou aquela palavrinha chamada maturidade que chega com o tempo? Será que crescer não é só superar as expectativas que pessoas criam pra você, do tipo fazer faculdade, ter um bom emprego, etc.
  Mas particularmente crescer pode ter outros significados amplos como deixar coisas passarem, aprender a entender coisas que não eram entendidas, ficar confuso e depois descobrir que continua na mesma confusão absurda de antes, ter espaço para errar e cometer algumas rebeldias, filosofar sobre coisas que não tem muito sentido.
 No fim crescer não é nada daquilo que imaginamos. É apenas chegar a uma idade e perceber que nada mudou que ainda somos os mesmo de antes com as imaturidades e ataques de insegurança, é como um beco sem saída que precisa de uma saída digna do tamanho do futuro que nos aguarda, porém o futuro é incerto por isso não devemos esperar muito dele.
 Somos diariamente cobrados sobre isso: “vê se cresce”, “Quando você crescer as coisas vão mudar”, bla bla bla. Quem foi que disse que as pessoas que dizem isso já cresceram o suficiente pra poder dizer isso? Ser adulto é apenas um título que vem com o tempo e nada mais. 
          

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012


     Caminhando sozinha, lentamente algumas vezes paro para observar as pessoas que encontro pelo caminho, outras olho para o céu onde encontro nuvens se formando. Gostaria que o caminho durasse mais para que todos os meus devaneios fossem respondidos. Quando chego ao fim do caminho gosto de olhar para traz onde posso ver tudo o que percorri em tão pouco tempo e as coisas que deixei para traz e não notei.
    Assim é a nossa vida, com caminhos tortuosos, meias palavras, dores e sofrimento. Dizem que isso tudo nos leva para algum lugar onde somos pessoas adultas e podemos lutar contra isso para poder olhar para traz e admirar nosso crescimento como pessoas! Hoje somos uma coisa e amanhã já estamos diferentes, um pequeno detalhe pode mudar tudo mesmo que não pareça possível.
        

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Inquieta...


Inquieta, sentada, as horas não passam, um mundo de possibilidades gira a minha volta sem que eu possa perceber. Meu coração bate, não consigo ficar em silêncio comigo mesma, fecho meus olhos e posso ver, quase consigo tocar a pessoa hipotética a me esperar com um livro aberto. Gostaria que fosse outro alguém seria mais fácil.
         Quem disse que as coisas são fáceis? O garoto hipotético com seu livro tão desastrado quanto eu me fez ver coisas de ângulos diferentes. Deveria ter fugido, não deveria ter facilitado, aberto o jogo, iniciado toda aquela seção de “como é tudo lindo e brilhante quando o amor acontece”! Quem disse que é amor? Como pode ser? Não deveria.
       Ele lá, eu aqui dois mundos, duas pessoas, duas fases, medos, incertezas, medos, mensagens, fotos, olhares, parecemos dois idiotas em tão pouco tempo. Isso faz com que eu escreva desesperadamente para descontar as horas de ansiedade de uma coisa que como sempre vem me arrasa e depois se vai e me deixa sozinha como uma criança que perde o seu brinquedo favorito.
        Não quero, não preciso passar por esse paradoxo contraditório de novo, mas eu sei de uma coisa nunca, nem em meus devaneios alguém me deixou assim tão confusa antes... 
            

sábado, 8 de dezembro de 2012

Fora de órbita...


Quando ele está aqui é como se alguma coisa me deixasse um pouco mais feliz, como se eu tivesse um motivo a mais pra sorrir, uma distração que me tira da terra firme com os problemas e frustrações e me leva para orbitar em outro mundo, um mondo em que eu me sinto segura.
Gostaria apenas de saber se isso significa algo ou são apenas mais coisas que a minha cabeça imagina pra depois eu me desfazer em lágrimas e me lembrar de que a vida não é um conto de fadas onde visitamos outros mundos.
Tenho medo, penso, repenso, espero, temo que o depois seja tarde de mais assim como tudo aquilo que passa e nunca é dito ou feito. Na realidade queria um sinal, mas que fosse concreto. Afinal, não existe uma bola de cristal para se saber quando alguém gosta da gente, embora dessa forma tudo fosse mais fácil. Às vezes penso que sim, em muitas outras penso que não e enquanto isso aqueles lindos olhos me perseguem, mas isso é só porque eu deixei que fizessem isso. Como pode? Rendida por um olhar, mas é um lindo olhar que transmite algo que ainda quero entender porque no momento não sei o significado.
Horas e horas de conversas, músicas e bandas em comum, filmes e livros. Isso tem que significar algo, algo além de uma amizade que eu já tenho! 
             
          

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Olhos...


Perseguem-me enquanto passo, estão lá abertos às vezes piscam outras ignoram. Trazem-me segurança, ansiedade, ironia. São fundos, não quero perde-los, quando encarados profundamente, são capazes de hipnotizar por horas sem menor piedade.
Se eu simplesmente pudesse defini-los apenas diria indecifráveis. Não é possível desvendar aquele enigma por traz deles só sei que me atraem de uma forma curiosa. São lindos olhos capazes de iluminar um dia nublado e infeliz, o medo de adquirir um vicio por eles é concreto, pois  chegam a criar uma expectativa que me faz contar as horas para vê-los de novo.
São lindos olhos que eu quero olhando dentro dos meus olhos por um longo tempo para que eu possa senti-los, decifrá-los nem que seja só um pouco, só pelo prazer te ter-los.