sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Chove lá fora...


Chove lá fora, pingos batem na minha janela rapidamente, rapidamente como a pressa de livrar-me de tudo o que me prende. Livrar-me da sua repreensão ridícula, da sua falta de incentivo, da sua falta de tudo. Não ligo para o que você, gosta ou pensa de mim, aprendi a tratar sua existência como você trata a minha, como alguém que apenas está    ali e tem que ser lembrado dia- após- dia.
Tratei de buscar as palavras amigas e de incentivo de outras formas e com outras pessoas. A única coisa que tenho certeza, além de que está chovendo agora é que não sou e nem quero ser parecida com você de forma nenhuma nem só por parecer!
Peço desculpa se o texto te ofende, porém às vezes não gostaria nem de existir, mas já que existo conviva com a minha forma de ser porque isso quer queira quer não é sua obrigação, não para o resto da vida, sorte para nós.
Não ligo que não me entenda,  não participe de nada, não leia meus textos e ligo menos ainda para o que diz á meu respeito o que você fala para me desestimar apenas faz com que eu seja uma pessoa melhor para aqueles que realmente importam.   
      

Nenhum comentário:

Postar um comentário