quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Ser ou Ter???


Li um texto do Nietzsche que nos falava que ninguém é melhor que ninguém e sinalizava que todo ser humano acaba buscado se sobressair ao outro como forma de satisfazer pessoalmente a si próprio.
Lendo aquelas palavras pude perceber que a vida é muito mais do que ficar tentando ser mais do que os outros, nós aqui tentando nos sobressair e muitos outros tentando realmente ser alguma coisa melhor, mas não para esfregar na cara de todo mundo, e sim  existencialmente falando.
Nem sempre TER significa SER, do que adianta ficar se mostrando pras outras pessoas e no fim das contas, quando ninguém enxerga derrubar lágrimas porque vive em um mundo de mentiras onde TER, TER, TER é muito mais importante que buscar algo verdadeiro.
A verdade é: nada é mais importante do que viver em um mundo verdadeiro, onde se importar com as pessoas que ama é melhor do que fazer com que elas se sintam mal.
              

sábado, 24 de novembro de 2012

Foto roubada...


Devo estar ficando louca, ou posso não estar vendo com clareza as coisas. Cai em um abismo tão fundo e tão indelicado que já não sei distinguir meus sentimentos. Não sei perceber coisas que fazem a diferença, mas eu tenho medo, muito medo. Todos os dias acredito que só afasto pessoas, são pessoas que eu me importo, que amo, pessoas que eu queria por perto.
Tento interpretar lentamente a expressão que vejo cada centímetro e não muito tempo depois já posso ter aquela imagem guardada na minha mente, ainda não sei o que significa, temo não descobrir e novamente deixar passar.
Roubei sim aquela foto, não me envergonho. Alguma coisa na expressão dele me trazia de novo para um mundo onde um coração pulsando forte é real, onde se da importância para horas de conversas em um simples chat e onde alguém presta total atenção em você.
Às vezes penso estar fazendo algo de errado, tenho medo de voltar e arriscar toda a segurança que acabei de construir novamente. Volto a insistir, tenho medo de serem apenas devaneios... 
              

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Páginas de descobertas...

  Folhando páginas cada vez mais rápido á medida que a vontade de descobrir aumenta; a cada minuto que passa letras, vírgulas e pontos são devorados. Vão para algum lugar, um sub consciente cheio de tudo oque você já pode absorver daquelas maravilhosas linhas. 
 Lá é um mundo inteiramente seu, onde pode ser exatamente aquilo que quer ou já pode imaginar algum dia. Diversidade de mundos, países e cidades ao folhar um livro você pode se teletransportar para onde bem entender!  Pena que a viajem nem sempre é longa e na volta sempre fica a vontade de voltar. 
 Votar do se mundo é como pensar que tudo não passou de um devaneio despertado por um ponto final redundante... 
           

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

É só isso...


É engraçado decidir o futuro inteiro com apenas algumas folhas com muitas perguntas, chega a ser contraditório! Antes as coisas eram tão fáceis escolhas nem eram palavras concretas, agora quase posso tocá-las. Quantos e quantos dias sem preocupações pra agora ter de ver decisões sendo tomadas e pessoas queridas indo embora!
Temos que correr atrás dos nossos sonhos sem cessar, mas será que é mesmo possível? Será que existe um sonho alcançável?? Será que tudo não passa de uma mera ilusão improvável... Cada dia que passa eu penso que nada sou em um universo tão grande com tantas pessoas que sonham mais do que eu.
Um potinho no meio do nada com sonhos que talvez possam ser alcançados. Frustrante, só isso...
            

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Peça de Xadrez...

Era sempre assim, dia após dia aquele contentamento descontente ela nunca sabia se ele a amava sinceramente ou se tudo não passará de apenas mais um negócio. A rotina interminável, cortes educadamente desnecessárias, jantares entediantes, pessoas fúteis e estratégias para jogos de xadrez. 
As vezes se sentia indiferente a tudo ou se via apenas como um reles peão em um grande tabuleiro esperando pela próxima jogada. Ninguém, ninguém era capaz de ama-la.
          

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Chove lá fora...


Chove lá fora, pingos batem na minha janela rapidamente, rapidamente como a pressa de livrar-me de tudo o que me prende. Livrar-me da sua repreensão ridícula, da sua falta de incentivo, da sua falta de tudo. Não ligo para o que você, gosta ou pensa de mim, aprendi a tratar sua existência como você trata a minha, como alguém que apenas está    ali e tem que ser lembrado dia- após- dia.
Tratei de buscar as palavras amigas e de incentivo de outras formas e com outras pessoas. A única coisa que tenho certeza, além de que está chovendo agora é que não sou e nem quero ser parecida com você de forma nenhuma nem só por parecer!
Peço desculpa se o texto te ofende, porém às vezes não gostaria nem de existir, mas já que existo conviva com a minha forma de ser porque isso quer queira quer não é sua obrigação, não para o resto da vida, sorte para nós.
Não ligo que não me entenda,  não participe de nada, não leia meus textos e ligo menos ainda para o que diz á meu respeito o que você fala para me desestimar apenas faz com que eu seja uma pessoa melhor para aqueles que realmente importam.   
      

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Não é bem assim como dizem...

Já pararam um minuto para observar o que te faz ser diferente das outras pessoas? Quem é que diz que você é diferente ou estranho? Só porque foge de um determinado padrão de menina ou menino não é significado de estranheza ou antipatia, ou só porque não fica o tempo todo agarrando alguém não quer dizer que não é normal. 
Qual é, quem disse que está certo toda menina ser fútil, fácil e ser o centro das atenções o tempo todo. Então quer dizer que as que não fazem isso são menos meninas do que as que fazem? Penso que não. Posso não chamar a atenção sendo linda, com um copinho de modelo americana, mas chamo atenção pelo meu senso crítico e inteligência e não por futilidades. Posso não chamar a atenção de um determinado grupo de meninos mas em uma roda de discussão política ou social com certeza as pessoas me notam. 
Quem foi que colocou na cabeça do mundo inteiro que para ser menina tem que ter milhões de esmaltes, chapinha e maquiagem somente? Devemos sim ter isso mas precisamos do resto. Eu sou bem feliz com um caderno de anotações, idéias e uma mente bem aberta.
             

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Memória...

 Hoje fazem 11 anos que eu perdi uma pessoa muito importante na minha vida, meu tio. Ele era o único irmão da minha mãe, então ele participou de boa parte da minha vida. É muito difícil lidar com perdas, principalmente nessa etapa da vida em que decisões são tomadas e coisas mudam, eu sei que faz muito, muito tempo mas mesmo assim é complicado. 
 Gostaria de oferecer esse post em memória dele agora que é um momento muito importante pra mim. 

 Sinto sua falta, mesmo que o tempo tenha passado e que eu tenha crescido. Gostaria que estivesse aqui, participando dos meus bons e maus momentos, me aconselhando nas decisões difíceis. Sei que o lugar onde você está é melhor do que esse onde estamos, lembro-me dos momentos em que esteve comigo e com nossa família. 
Obrigada por ter existido em nossas vidas, você foi o melhor tio do mundo inteiro.