quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Crônica de uma amizade sem fim...

 Gostaria eu de poder ter observado tantas amizades assim nesses meus 17 anos de vida. Sempre procurei por ela em lugares onde não existia e não poderia existir. Então do nada sem a menor preocupação me surgem as melhores amizades que tive durante meus muitos anos no colégio. É tão estranho escrever sobre os meus últimos colegas de escola. Sim pois, tudo na vida tem que acabar um dia o colégio também acaba.
Sem queres desmerecer todos os outros colegas que tive durante minha longa jornada. Porém dessa vez essas pessoas que tive a honra de dividir meus medos, dúvidas e aflições retribuíram por inteiro o que era merecido e isso não tem como esquecer. Mesmo com todas as "zoações", brincadeiras e ataques de infantilidade nos tornamos pessoas inseparáveis ao ponto de saber em muito pouco tempo o que cada um precisa. 
Cada vez mais, eu penso que escolhi as pessoas certas para serem chamadas de amigos neste ano que vem a ser um dos mais importantes. Escrevendo essas palavras ao som de um bom rock que não sei se amanhã ou depois ainda escutarei desejo que cada um desses amigos maravilhosos alcancem seus objetivos de vida e consiga realizar tudo o que planejam é o mínimo que eu posso desejar. 
Quando se passa por um momento obscuro sempre se pensa que as coisas não ficaram melhores, quando se é traído por amigos se pensa que nunca apareceram pessoas que sejam dignas de ocupar esse lugar. Eu encontrei nesse ano pessoas dignas. Ofereço esse post ao meu "cilculo" (porque a nossa amizade não tem fim) Samuel, Otavio, Pedro, Geovanni e Lorena.  
           

2 comentários:

  1. Eu também tive a sorte de encontrar bons amigos esse ano...

    ResponderExcluir
  2. Que bom né... No fim das contas, são eles que importam!!! :D

    ResponderExcluir